Pause

Quereeeedos de my life!

O Blog do Stanford, esse adorável lugar amado por vocês, aloka, vai dar uma pequena pausa em suas atualizações. Calma, calma, sem empurra, empurra. É apenas um break para resolver alguns detalhes técnicos e logo, logo eu volto com tudo.

Lindo, moreno e ahazante!

Mil beijos,

Stanford

Anúncios

O Ecad e a Palhaçada de Cobrar de Blogueiros Por Vídeos Postados do Youtube

Ai, gente, que preguiça, viu! Das grandes! É cada babaquice que surge por aí que não me sobra mais nada a não ser me revoltar. E, claro, dividir a revolta com vocês. #SouDesses

O Ecad (Escritório Central de Arrecadação e Distribuição) deveria ser, a princípio, uma entidade capaz de assegurar que alguns direitos fossem repassados a quem é devido. Por exemplo, um cantor que tem sua música executada em diversos meios e, por isso, deve ser reembolsado, o que é lusho e glamour. Entretanto, não é de hoje que a entidade decepciona e se envolve em questões idiotas e surreais como a mais nova polêmica envolvendo o blog Caligraffiti.

Formado por sete colaboradores, o Caligraffiti é um blog sobre design, arte, tecnologia e cultura em geral. Dentro de um nicho específico, o blog recebe aproximadamente 1.500 acessos diários, mas não rende lucro para os colaboradores, assim como a maioria dos blogs da internet.

A surpresa aconteceu quando os responsáveis pelo Caligraffiti receberam um email do Ecad avisando que teriam de pagar o valor de R$ 352,59 mensais, relativo aos direitos autorais dos vídeos do Youtube e Vimeo que foram postados no blog. Que babaquice, darlings, que babaquice! E a resposta do Ecad quando se questionou a cobrança foi a seguinte:

“Esclarecemos que, toda pessoa física ou jurídica que utiliza músicas publicamente, inclusive através de sites na Internet, deve efetuar o recolhimento dos direitos autorais de execução pública junto ao ECAD, conforme a Lei Federal 9.610/98.”

Por orientação de advogados, o Caligraffiti chegou a ser retirado do ar por um tempo, enquanto tentava-se entender o disparate. Mas na última sexta-feira, Uno Oliveira, um dos responsáveis, colocou a boca do trambone num post intitulado Por Uma Internet Livre!, que reproduzo, em partes, a seguir:

“(…) Então o ECAD além de ganhar do Google e Facebook agora está começando a taxar todos os sites que têm algum tipo de sonorização, mesmo sendo um compartilhamento. E o valor não é barato! (…)

E pasmem, a nossa legislação atual compactua e protege o ECAD a fazer esse tipo de cobrança. Não temos saída, a não ser colocar a boca no mundo e cobrar leis mais flexíveis quando o assunto é internet.

Conversamos com muita gente, blogueiros, advogados especializados e formadores de opinião, todos concordam que esse tipo de atitude inibiria a blogosfera brasileira, que utiliza muito material compartilhado de grandes canais de vídeo online. Por opiniões unânimes decidimos recolocar o site no ar e encarar a briga, caso realmente eles queiram isso.”

Aos meninos do Caligraffiti a minha solidariedade. Acho um A-BU-SO esse tipo de cobrança, principalmente porque é ridículo o que está sendo feito, já que o Ecad está cobrando em dobro (mesmo dizendo que não) e lucrando em cima disso. Afinal, o Youtube já paga os direitos ao Ecad, por que motivo cobrar NOVAMENTE por algo que já foi pago? Eu, heim! Aloka agora não sou eu! #MuitoFranco

A legislação brasileira ainda tem muito que se definir sobre o uso da internet no país. Enquanto isso, as “entidades” que deveriam servir aos cidadãos buscam brechas nas leis existentes para lucrar em cima dos mesmos. É uma vergonha, isso sim!

Mas não podemos nos calar e sim, nos juntar aos meninos do Caligraffiti e prostestar. Eu faço a minha parte, e você?

Oscar 2012: o Red Carpet das Estrelas de Hollywood

E então que eu não entendo lá muita coisa de moda, darlings. Ok, ok, ok, sou antenado, fashion, lindo e ahazante, mas, sinceramente, não fico me ligando nas últimas tendências da estação, nem em qual a cor da moda ou o esmalte sensação do momento. Minhas amigas ficam putas danadas da vida porque eu não dou consultoria, mas vivo lembrando: gatas, eu sou gay, não personal stylist. Ahaza!

Entretanto, eu sei bem observar as roupas dos outros e dizer se gostei ou não do que estou vendo. Para mim, mais do que moda, uma roupa tem que ser confortável e bonita aos olhos de quem vê. Estar na moda é, antes de tudo, estar se sentindo bem com o próprio corpo embalado naquela roupa. #SouDesses

Eis que com todo mundo comentando o Oscar 2012, eu fui lá dar minha olhada no red carpet e nas roupas das nossas queridas celebridades hollywoodianas. E abaixo digo do que gostei e do que não gostei nas roupas da premiação. Bora conferir?

#Curti

A atriz grega Maria Menounos, linda e simples. Ahazou no verde... Parece que o vestido flutua.

Será o verde tendência? Berenice Bejo, indicada por O Artista a Melhor Atriz Coadjuvante usou um vestido da mesma cor. E apesar de não ter gostado das mangas, não tem como negar que ela estava muito bem.

Michelle Williams, indicada a Melhor Atriz, e elogiada por todos por sua elegância nesse belo vermelho.

Em minha opinião, um dos mais belos vestidos da noite: Gwyneth Paltrow ahazou na escolha do branco.

Mais uma aposta no verde: Glenn Close, indicada a Melhor Atriz, num vestido que lhe caiu muito bem.

#NãoCurti

Acho a Emma Stone uma lindinha. Mas com esse vestido de laço nem ela fica bem.

A indicada a Melhor Atriz Coadjuvante, Melissa McCarthy, não escolheu um bom vestido para seu corpo mais cheinho. Achei o visual meio estranho.

A responsável pela edição de O Artista e indicada ao Oscar, Anne-Sophie Bion, parece enrolada em papel crepom nesse vestido um tanto quanto... esquisito.

Alguém fala pra Rose Byrne que não adianta ela usar esse vestido no Oscar, darlings? O papel da nova Mulher Gato já é da Anne Hathaway. Aloka!

Que Merryl Streep é diva, ninguém duvida. Mas ir pra entrega do Oscar, indicada a Melhor Atriz, vestida de estatueta é um pouco demais, né? Acabou que ela levou o prêmio e o camuflou na própria roupa. Ahaza!

 Claro que teve muito mais do que isso no red carpet, mas achei que os exemplos acima demonstravam bem a minha singela opinião sobre as roupas das celebridades.  E deixo claro: não dito tendências e não sou expert em moda. Eu só falo o que penso. #SouDesses

Ah, tem mais: para saber quem foram os grandes vencedores do Oscar em todas as suas categorias, tem um post todo trabalhado na competência e rapidez lá no Pop de Botequim, o blog sobre cultura pop em geral que ahazodu na cobertura da premiação. É só clicar aqui, que faço minha mágica pra te direcionar diretamente para lá. Aloka!

E vocês, o que acharam dos vestidos do red carpet do Oscar 2012? Conta pra mim, vai? Adoro quando vocês se manifestam. #SouCarenteDeComentários

Beijos mil,

Stanford

Relacionamento ou Prisão?

Vamos ser sinceros, darlings? Acho que todo mundo – e não estou generalizando – procura por alguém. É natural, é esperado, e não vejo problema algum em admitir que é bom viver uma relação com alguém que a gente ame. O que acontece é que, algumas vezes, essa pessoa não surge e aprendemos a ser sozinhos, auto-suficentes e, muitas vezes, isso também tem seu encanto, apesar de causar uma certa estranheza a quem não sabe viver assim. E eu tenho de deixar bem claro: antes só do que mal acompanhado é realmente um mantra que muita gente deveria repetir todos os dias. Aloka.

Pensando nas pessoas que estão sozinhas e levando suas vidas bem dessa forma, é que paro e penso naquelas que estão juntas, unicamente porque tem medo de um dia ficarem sozinhas. Eu, heim, não entendo mesmo! Mas, cada um é cada um e deveria saber porque faz certos sacrifícios. O que me deixa confuso é que muita gente não sabe.

Por que tantas pessoas se mantém presas a relacinamentos que se arrastam, mas que não as satisfazem? Por que um número tão grande de pessoas deposita a própria felicidade em relacionamentos falidos? Eis as questões!

Quantas pessoas conhecemos que estão em determinados relacionamentos única e exclusivamente por comodismo? Reclamam, não estão satisfeitos, mas quando perguntados pelo motivo de levarem em frente esses relacionamentos, dizem ter medo de colocar um ponto final na bagaça. Preguiça demais desse tipo de postura, melbem! O que é bom deve continuar, mas o que já passou da validade tem que encerrar o seu ciclo. Ahaza!

  • “Mas a gente já tá junto a tanto tempo…”
  • “Ele(a) conhece toda a minha família e eu a dele(a)… Não posso terminar.”
  • “Se eu terminar eu vou ficar sozinho(a) e não quero isso…”

É assim que ervas daninhas vão sendo cultivadas e a felicidade de tantas pessoas é jogada fora. Ou, pior, a hipocrisia passa a ser uma constante, com traições acontecendo de ambos os lados, numa verdadeira guerra de chifres trocados. #Tendência2012

Gatos e gatas, juro, não consigo entender esse tipo de atitude. É tudo tão simples, que não vejo porque complicar tanto. Ou a coisa está boa ou não. Preto ou branco, 8 ou 80. Meio termo é para os fracos e não vim ao mundo para ficar todo trabalhado no copo meio vazio. Dois beijos!

Relacionamento é troca, é prazer, é juntar forças para levar a vida. Quando a acomodação chega e o sentimento termina, é hora de deixar as coisas seguirem seu fluxo e abrir mão sem chorar o leite derramado. A gente pode até chorar, sofrer, espernear. Mas a gente supera. Eu juro, bebê!

Pra quê assinar o seu passaporte pra infelicidade se tudo que você precisa pra ser feliz é tomar uma decisão?

Somos adultos – pelo menos deveríamos ser – e donos de nossas ações. Relacionamentos NÃO são prisões e posso dizer com conhecimento de causa: mudanças fazem bem pra vida de qualquer um.

A alternativa é manter tudo do jeito que está. E viver de lamentações…

Internet: Como Conhecer Pessoas Legais na Rede

Anos atrás, se você dizia que conheceu seu marido/namorado/peguete pela internet, certamente atrairia olhares surpresos para o seu lado. Atualmente, isso mudou. Eu mesmo já conheci boys magias no meio virtual, que passaram a fazer parte da minha vida real. #SouDesses

Concordo muito com o que diz uma certa amiga que tenho: ‘virtual é só o meio, o sentimento tem de ser real!’. De boa? Assino embaixo e ainda coloco estrelinha. Aloka!

Na vida moderna, a internet passou a se entrelaçar com a vida “real”.  Por isso, nada mais natural que muitos relacionamentos comecem dessa forma. Me diga, quantas pessoas que estão nas suas redes sociais você conhece pessoalmente, no face to face? Se assustou com as contas? Pois é, melbem, temos de ver isso aí.

Foi pensando nisso e nos vários emails que recebo de pessoas reclamando de sua solidão, que pensei em reciclar um assunto que pode ajudar muita gente. E, digo com propriedade: muita gente já usa a internet para conhecer pessoas e se relacionar efetivamente com elas.

Claro, isso deve ser feito com todos os cuidados possíveis, porque na internet todos podem ser bonitos e atraentes; é aqui que vendemos o peixe da forma que queremos que ele aparente ser. Assim, se vai sair do virtual e partir para o real, cautela é imprescindível e todos nós já conhecemos os cuidados de sempre: primeiro encontro sempre em local público, avisar aos amigos e/ou familiares para onde vai e com quem vai, etc. Conhecer pessoas é tendência. Manter a nossa segurança e bem-estar, é nosso dever. Ahaza!

Mas agora vou deixar o blá blá blá de lado e listar algumas formas interessantes que podem ajudar aos corações solitários a encontrar a tampa da sua panela. Porque sou desses, sweets!

Na Sala de Bate Papo

Tem gente que acha que sala de bate papo é demodê e, por isso, eventualmente me dou ao trabalho de entrar numa delas para ver como anda o movimento: me surpreendo, darlings. Elas continuam movimentadas, cheias de pessoas dispostas a falar sobre qualquer assunto.

Da primeira vez que usei a internet, lembro claramente de estar todo trabalhado na empolgação com a possibilidade de falar com diferentes pessoas de qualquer lugar. Imaginem um jovem adolescente enrustido querendo desbravar o mundo e todo serelepe nas salas de bate papo: euzinho! Aloka!

Claro, que filtro é necessário. Depende do que você busca, pois as salas estão abarrotadas de nicks que vão desde Coração Românticov e À Procura do Amor e indo até as Calcinhas Molhadas e os Barracas Armadas. Uma loucura!

Para começar, procure uma sala de bate papo com um assunto específico que lhe atraia. Elas são diversas: relacionamento, por cidade, região, idade, gostos e afinidades. Lá dentro, peneire! O trabalho é chato, mas pode valer a pena. Quem sabe aquele boy magia ou aquela gata sensação não se encontram perdidos atrás de um monitor, apenas esperando te encontrar para que você seja ‘alguém com quem quer falar por horas e horas e horas’?

Dica: que a sala de bate papo seja o contato INICIAL. Troque MSN, veja fotos e, de preferência, veja a pessoa na webcam (sem safadeza, viu gente, por favor! Isso não conta pontos pra você! #FicaDica). Isso evita certas surpresas na hora de um encontro real.

No Facebook (Porque acho muito que o Orkut já mór-reu!)

Convenhamos: Orkut é algo muuuuuiiiiitooooo 2005, por isso vamos falar apenas do Facebook como forma de território de caça, aloka, que os mais viajados já tem há um certo tempinho.

Eu me divirto passando horas passeando pelos perfis alheios nesse tipo de site de relacionamento. Adoro ver fotos, conferir páginas curtidas, ver possíveis gostos em comum com pessoas tão distintas. E, confesso, como sou das antigas, já arrumei até um namoro pelo Orkut, que durou mais de um ano.

A dica é ser sutil e deixar rastros, principalmente se a pessoa lhe interessar. Em alguns casos, vale ser cara de pau e deixar um singelo ‘Oi, curti o perfil!” no mural ou por mensagem direta ou, se possível e a informação estiver disponível, pegar logo o MSN e adicionar aos seus contatos (foi o que fiz com o dito cujo que resultou em namoro). Super prático e objetivo. Fora que a ferramenta Cutucar é super válida para essas horas, né, darlings. Quem nunca cutucou aí que me julgue!

No Twitter

O Twitter está sempre levantando discussões que duram 15 minutos, com a galera sempre se revoltando e colocando assuntos nos famosos TT. Por quê não usar a ferramenta pra conhecer gente legal?

Siga quem lhe interessa, ria ou filosofe em frases de até 140 caracteres. Pode parecer pouco, mas o Twitter é um local muito propício para conhecer pessoas. Através de frases curtas dá pra saber bem o que a pessoa pensa e como ela se comporta. Mais do que isso, dá pra ver o que a pessoa faz no seu dia a dia.

Escolhidos os perfis que mais lhe agradem, vá pro ataque: mande uma mensagem pra pessoa, comente um tuite aleatório e, tcharam!, é questão de tempo até que ele também lhe siga. Então, meus caros, nada que uma DM pedindo outras formas de contatonão resolva. Prático e rápido no gatilho. Agora é usar o poder de sedução e partir pro ataque. Ahaza!

Depois de tudo isso, só tenho que te perguntar, sinceramente: por que cargas d’água você ainda não me segue no Twitter nem é meu amigo no Facebook? Isso magoa, gente! Vamos corrigir essa falha na nossa relação de amizade? Aloka!

No Twitter sou o @StanfordFriend e você pode ir na minha página pra me seguir, clicando aqui. Rápido e com um clique!

Já no Face, sou facinho, facinho: me adiciona que eu aceito rápido. #SouDesses. Bora na minha página, clicando aqui, e solicitando a amizade, viu?

Beijos mil e espero que as minhas dicas te ajudem. Porque na guerra vale tudo. Ahza!

Stanford

O Politicamente Correto e os Chatos de Plantão

Ai, darlings, hoje acordei pensando na vida e de como o mundo era um lugar tão diferente quando eu era pequeno. Porque sim, eu brincava na rua, me sujava de terra, corria livremente e falava o que eu bem entendia, todo trabalhado na liberdade juvenil. Na escola, eu brincava e sacaneava, e o tal de bullying ainda não tinha esse nome e nem era tão famoso. Mas sabem o que é mais engraçado disso tudo? Eu cresci, apareci e, juro pra vocês, sweets, sem nenhum grande trauma e com muita saúde.

Já os nossos tempos são um tanto quanto nebulosos. Tem uma certa patrulha que toma conta de tudo e de todos, menos daquilo que realmente importa. Hoje em dia, qualquer piada sem graça pode sofrer censura e custar milhões de indenização, quando, pra mim, piada sem graça é apenas isso: sem graça, daquelas que não me fazem nem mesmo esboçar um sorriso. Se estressar pra quê, logo logo todo mundo esquece dela e vida que segue.

Vide o baphão do Rafinha Bastos e a história com a Wanessa Camargo e seu bebê. A piada (“eu comia ela e o bebê”) foi péssima, mas estou cansado de ouvir coisas MUITO piores por aí não tendo a mesma repercussão. O que ninguém percebe é que interesses muito maiores levaram ao afastamento do humorista da tela da Band. Afinal, todo mundo sabe que Ronaldinho (o Fenômeno, aquele mesmo dos travestis… #Abafa) é amigo e sócio de Marcos Buaiz , marido de Wanessa… Alguém aí consegue agora juntar dois mais dois e entender melhor “o caso Rafinha”?

Veja o caso da televisão aberta brasileira. Quando foi que ela se tornou tão chata, meu povo? Eu ainda sou bem jovem, mas lembro bem quando Mulheres de Areia passou pela primeira vez, no horário das 18h. Além de ver Glória Pires ahazando em quatro papéis (sim, darlings, ela era Ruth, ela era Raquela, e ela ainda era Raquel fingindo ser Ruth e Ruth fingindo ser Raquel… Coisa de atriz boa, sabem!), eu adorava a abertura da novela, da musiquinha que eu ficava cantarolando, feliz da vida. Os mais desatentos podem nem perceber, mas essa abertura que está sendo exibida no Vale a Pena Ver de Novo, na reprise da novela, não é a original e sim uma nova, refeita, já que a que foi ao ar em 1993, quando a novala foi originalmente exibida, “não era compatível com os padrões morais atuais do país”. Como assim, meu povo? Roubo no congresso pode, mas uma abertura de novela agora é censurada? Eu, heim!

Isso sem falar no caso da série Aline, estrelada por Maria Flor, Pedro Neschling e Bernardo Marinho. A série foi tirada do ar, no meio da temporada, porque a história de uma garota com dois namorados não é “decente”. O que acho #Tenso é uma atração ser tirada por esse motivo e não por ser ruim (o que, convenhamos, a série era).

Enquanto isso, a censura corre solta e os gays são retratados na televisão como seres praticamente assexuados, que não beijam, já que “a família brasileira” não está preparada para ver uma demonstração de afeto entre pessoas do mesmo sexo na televisão. Hum, tenso, já que enquanto isso, os Bolsonaros e Malafaias da vida vão fazendo a lavagem cerebral o no povão. Jura que eu estou em 2012, gente? Porque tem horas que eu acho que voltei pra séculos passados e estou vestindo minhas lindas roupas de época. Ahaza!

O que me incomoda é esse bando de gente que adota determinadas posturas e pensamentos como se fossem seus, sem nem se dar conta de que estão deixando de utilizar um órgão que está dentro da nossa cabeça e não serve apenas para fazer peso e sua cabeça não tombar. Aloka! Cérebro é bom, darlings. E merece e DEVE ser usado!

O chamado politicamente correto, a princípio, seria para fazer do mundo um lugar melhor e da sociedade mais humana. Entretanto, ele acaba podando as pessoas, tornando-nos iguais, como se fôssemos feitos em série e pensássemos parecido, com direito a frases, pontos e vírgulas decorados. Desculpa aí, mas em mim dá pane no sistema e a programação vai pro espaço, porque sou desses e penso por mim mesmo e não por códigos pré-aprovados.

São nessas horas que tenho preguiça do mundo, de gente e, mais ainda, desse politicamente correto e dos mil chatos de plantão que vivem a cercear a vida alheia. Afinal, conforme cantou Raul, prefiro fazer parte de uma outra tribo, de um outro grupo:

“Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante
Do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo…”

 Mil beijos,

Stanford

Convite: já foi conhecer o Pop de Botequim? Tudo sobre cultura pop no blog-irmão, aloka, do Blog do Stanford. Corre lá agora! É só clicar aqui e conferir!

Meia Hora: As Capas do Jornal Mais Bagaceiro do Rio de Janeiro

Quem não é do Rio de Janeiro pode não conhecer, mas o Meia Hora é um jornal desses populares, bem baratinhos (tá custando R$ 0,70 agora o exemplar), que fazem de tudo para chamar a atenção dos leitores. E quando digo tudo, me refiro às capas mais insanas e involuntariamente (será?) divertidas possíveis. Brinco dizendo, darlings, que meu sonho é ser contratado pra ser redator de chamadas de capa do Meia Hora. Acho que eu ia ahazar no trabalho.

Confesso que caminho pela rua e quando vejo uma banca de jornais, não resisto, sempre dou uma espiadinha para conferir a capa do dia do Meia Hora, que sempre me arranca gargalhadas.

Assim, escolhi algumas das que considero as melhores capas do “jornal” e divido com vocês, afinal, qual seria a graça de rir sozinho de tanta “criatividade”? Confiram por vocês mesmos e se divirtam. Ou não, né?

18/01/2012 - Sobre a polêmica do "estupro" no BBB12, com direito a piadinha sobre a "Luiza, que está no Canadá", no detalhe

05/12/2011 - Sobre o resultado do Campeonato Brasileiro e o vice-campeonato do Vasco da Gama

17/12/1011 - Sobre declaração de Robert Pattinson e vídeo de Kadu Moliterno na webcam

02/12/2011 - Sobre a saída de Fátima Bernardes da bancada do Jornal Nacional

25/11/2011 - Sobre o vídeo de Ronaldinho Gaúcho se masturbando na webcam

05/08/2011 - Sobre babá que abusava sexualmente de adolescente

24/07/2011 - Sobre a morte de Amy Winehouse

18/01/2011 - Sobre a eliminação de Ariadna, no BBB11

30/08/2010 - Sobre mulher que oferecia serviços de sexo oral para policiais

30/08/2010 - Sobre o caso de um surdo pedófilo

20/02/2010 - Sobre as duas lideranças consecutivas que Eliéser conquistou no BBB10

29/10/2008 - Sobre a separação de Dado Dolabella e Luana Piovani

Agora, confessa pra mim: você bem que riu de algumas dessas pérolas também, né?

E pra quem não é do Rio: na sua cidade existe algum jornal de chamadas tão “criativas”? Conta pra gente, melbem! A caixa de comentários está à disposição.

Mil beijos,

Stanford, aquele que você deve seguir no Twitter, clicando aqui, e ser amigo no Facebook, clicando aqui!

Hits da Internet: Do Virtual Para a Boca do Povo

Você sabe, né, melbem? Hoje em dia, basta você conquistar os internautas para logo, logo estar na boca do povo. Afinal, quando um assunto bomba nos meios virtuais, não demora muito para que todo mundo esteja comentando. Menos Luiza, que está no Canadá. Aloka!

E foi a história da Luiza que me fez ficar todo trabalhado no pensamento sobre o assunto. Depois que um comercial sobre um empreendimento residencial em João Pessoa foi parar na internet, com Gerardo Rebello, o pai de Luiza, dando o depoimento de como o local era um must, o nome de Luiza passou a ser conhecido por todos nós. Com toda a família à sua volta, Gerardo comenta que todos adoraram o empreendimento, “menos Luiza, que está no Canadá”. E assim nascia um novo hit, sweets. Para terem ideia, a hastag #LuizaEstánoCanadá é uma das mais citadas no Twitter desde a última quinta-feira, com a jovem virando diva absoluta da última semana na internet. Luiza e Canadá foram citados mais de 11 mil vezes, somente no Twitter, sem contar as piadinhas que pipocam no Facebook. Ahaza, né?

Fazendo tanto sucesso na internet, Luiza inclusive antecipou sua volta do Canadá, people. E já tem até movimento de recepção da jovem no aeroporto. Esperta é ela, que poderá lucrar um pouquinho mais graças a seus 15 segundos de fama.

Ao vermos tamanha comoção com Luiza, que está no Canadá, como não lembrar dos adoráveis pôneis malditos que infestaram as redes sociais e cuja musiquinha não saia de nossas cabeças? A ação de marketing para a Nissan fez a marca voltar com tudo,  graças a um comercial todo preparado para fisgar os internautas.

Tudo bem que você pode nem se lembrar que o comercial era da Nissan, mas como esquecer os pôneis malditos?

“Odeio barro, odeio lama – que nojinho! -, não vou sair do lugar!”

E a lista de “sucessos” da internet que refletiram no mundo “real” é enorme. Que o diga a outra Luisa, a Marilac, que conheceu o sucesso graças a seu vídeo comentando sobre sua vida de glamour na Espanha, garantindo que não estava na pior e sempre tomando os seus bons drinks. A travesti virou hit da internet e lançou vários bordões, conhecidos por quase todo mundo. Agora, é vista com frequência em programas de televisão. Temos de convir, se isso é estar na pior, póorrãmmm!

A conclusão, queridos, é que hoje em dia não é necessário uma boa ideia para ser sucesso. Com uma boa dose de sorte, alguns cliques e o boca a boca despertado, qualquer um pode se tornar famoso. Mesmo que por algumas semanas.

Quando é que vão me descobrir, heim? Por isso que eu podia estar matando, podia estar roubando, mas só estou aqui pedindo para ser seu amigo no Facebook (clica aqui e ahaza me adicionando) e para ser seguido no Twitter (basta clicar aqui para me seguir). Aloka!

Mil beijos para todos vocês, menos pra Luiza, que está no Canadá.
#ProntoCanseiDaPiada

Dica: Confiram a super promoção que tá rolando no meu Twitter, clicando aqui!

Sorteio: Concorra a um Livro Autografado Por Seguir o @StanfordFriend no Twitter

Nada melhor do que uma promoção pra brindar os leitores e amigos, que tem prestigiado e colaborado pra fazer o sucesso do meu humilde blog. Se eu ahazo, melbem, é porque vocês ahazam no carinho e na divulgação.

Dessa forma, a primeira (aguardem, teremos várias) promoção do Blog do Stanford é mais do que especial e será realizada no Twitter. Pra participar, é bem simples, basta seguir o meu perfil no Twitter, o @StanfordFriend e enviar a mensagem abaixo, ou simplesmente dando RT nela:

Sigo o @StanfordFriend e dou RT para concorrer a um exemplar autografado do livro O Arroz de Palma http://kingo.to/XLS

O prêmio? Claro, um exemplar do livro O Arroz de Palma, primeiro romance do queridíssimo Francisco Azevedo, que, morram de inveja, é meu amigo. Pra completar, o livro vai autografado pelo Francisco Azevedo e com uma dedicatória especial minha, entregue direto no endereço indicado pelo sorteado. Ahaza, melbem!

Tá esperando o quê? Me follow no Twitter, RT na mensagem e boa sorte! O resultado será divulgado, pelo Twitter e com um update aqui nesse post, na próxima segunda-feira, 23/01.

Pra vocês conhecerem um pouco mais sobre O Arroz de Palma, deixo abaixo um resumo da obra para vocês ficarem ainda mais aguçados. Eu super indico, porque ADOREI a história, que já considero um clássico:

Primeiro romance a tratar da imigração portuguesa para o Brasil no século XX, O ARROZ DE PALMA narra a saga de uma família em busca de um futuro melhor, superando diversas dificuldades. Nos cem anos em que acompanhamos suas vidas, irmãos brigam e fazem as pazes. Uns casam e são felizes, outros se separam. Os filhos ora preocupam, ora dão satisfação. Tudo sempre acompanhado pelo arroz jogado no casamento dos patriarcas, José Custódio e Maria Romana, em 1908. Grão que serve de fio condutor desta história, como migalhas de pão jogadas no labirinto da memória. O ARROZ DE PALMA é um romance delicado, que emociona e comove. Com um certo ar de Isabel Allende, a trama tem um forte componente sentimental. Uma nostalgia por um tempo em que a família abrigava as pessoas. Um ideal que, portugueses ou não, todos herdamos.

Atualização em 23/01/2012. RESULTADO!

Parabéns @Doctor_Fritz! Já entrei em contato pelo Twitter!

Até a próximo sorteio, galera!

O “Estupro”, a Repercussão e o Respeito

Então que eu atóóóóron Big Brother. Pra ser mais exato, lembro da primeira edição, com o chato do Bambam abraçado com a boneca Maria Eugênia e ganhando, de virada, por um ato de desespero dentro da casa mais vigiada e novidade no Brasil até então. Eu era novinho, aloka, mas já gostava de me debruçar no zoológico humano, todo trabalhado na experiência antropológica.

Doze edições depois, cá estamos nós, assistindo ao programa todos os dias, comentando a vida das futuras sub-celebridades, reclamando da edição  e fazendo os cofres da Globo se encherem ainda mais. Fazer o quê se somos assim, potencialmente interessados na vida alheia, desejando mesmo que secretamente sermos nós a ocupar aqueles lugares dentro da casa? Ah, confessa, vai, a gente aqui está entre amigos.

Entretanto, acho que nunca um acontecimento do programa chamou tanto a atenção dos cyberespectadores como o possível “estupro” de Monique pelo carioca Daniel. As imagens que podiam ser conferidas durante o dia de domingo e que foram, pouco a pouco, eliminadas da internet a pedido da Globo, mostravam o “casal” no final da festa de sábado, com movimentos que insinuavam a prática sexual, com uma Monique alcoolizada, sendo conduzida por um espertinho Daniel. A patrulha da internet gritou, Boninho tratou de chamar Monique ao confessionário para questionar sobre a noite de sábado sem entrar em detalhes do acontecido, a dita cuja disse que tudo foi consensual e a edição tratou de “romantizar” o ato, tranformando quase 5 minutos de vídeo numa cena de 5 segundos, onde Monique parecia estar ciente de tudo que estava acontecendo. A cereja do bolo foi Bial encerrando o assunto no programa ao vivo de domingo: “o amor é lindo”Como assim, Bial???

Estou longe de ser politicamente correto. Acho que as pessoas devem ser livres, fazer o que tiverem vontade, sem terem de se preocupar com o que os outros estão pensando. O que me deixou de queixo caído nessa história foi a postura adotada pela emissora diante da situação. O mínimo a ser feito seria mostrar as imagens do pseudo-sexo para Monique e deixar que ela tirasse suas conclusões. Está claro para todos que ela nem se dá conta do que efetivamente aconteceu, já que logo depois de chamada ao confessionário no meio da tarde de ontem, falou diversas vezes que não se lembrava direito do que tinha acontecido, toda trabalhada na amnésia alcóolica, meulbem! Ao chamar Daniel para conversar, tomou como verdade as palavras do espertinho ao dizer que foram dois beijos e uns amassos. O que me irrita é que ela pode não ter noção de quão intenso foram esses amassos.

As imagens ficaram disponíveis para quem quisesse ver, incluindo a família de Monique e o Ministério Público. A chamada de capa dos jornais sensacionalistas do Rio de Janeiro tratam do assunto com alarde, com direito a declaração da mãe de Monique dizendo que vai processar Daniel pelo ocorrido. Gata, não se “processa” alguém por estupro, #FicaDica. Minha esperança é que passado o fim de semana o assunto seja tratado com a seriedade que merece. E bato na tecla: Monique precisa ver as imagens para termos a certeza se ela sabe o que efetivamente aconteceu.

Digo mais: pode ser que sem a interferência da opinião pública, que faz alarde aqui fora, Monique veja as imagens e ache que não aconteceu nada demais. Então tudo bem, será a opinião dela depois de ver o que efetivamente aconteceu e nós, telespectadores, engoliremos nossos sapos e baixaremos a guarda quando Boninho disser que havia avisado. Mas o oposto também pode acontecer; ela pode se sentir violada por ter sido induzida a algo quando estava inconsciente. É direito dela saber o que aconteceu e não acho que ela deva ter acesso a isso apenas depois de sair do programa.

Alguns idiotas da web bradam com propriedade de causa que a culpa não foi de Daniel. Que ele apenas agiu com “culhões”, foi lá e fez o que qualquer “homem” teria feito numa situação parecida. Desculpem-me os imbecis de plantão, mas acho que homem que precisa pegar uma mulher bêbada pra chegar às vias de fato, não é homem de verdade. Muito pelo contrário, é um serzinho vil, incompetente e que, sinceramente, deveria aumentar as estatísticas daqueles que viram mulherzinha atrás das grades.

O discurso pode parecer politicamente correto, mas trata-se apenas das palavras revoltadas de alguém que não se conforma com a mentalidade bárbara dos pseudo-machos que orbitam à nossa volta e que acha que o mínimo que a maior emissora de televisão brasileira deveria fazer era informar aos participantes do seu programa de maior audiência o que de fato pode ter acontecido com eles. Curto e grosso, darlings!

Dizem que Boninho realmente se acha o Big Boss, o todo poderoso, um quase Deus. Se a “impunidade” reinar nesse caso, se Monique continuar como marionete e pintada pela edição do programa como piriguete, acho que ele terá certeza disso. Será a Globo mostrando-se a poderosa das comunicações e do país. Para o bem e para o mal.

OBS: Estava demorando, mas agora efetivamente a polícia entrou na jogada. Um inquérito foi instaurado para apurar o que houve. Chupa essa, Boninho!

Update: Segundo informações do blog da Patrícia Kogut, Daniel finalmente foi eliminado, conforme trecho do post dela, que você pode conferir abaixo:

“O modelo Daniel, de 31 anos, acaba de ser eliminado da 12ª edição do “Big Brother Brasil”. A decisão foi tomada pela direção do programa no início da noite desta segunda-feira, 16, depois que a Polícia Civil esteve no Projac para investigar o possível abuso sexual cometido pelo participante na madrugada de domingo, 15. (…)”

Depois dizem que reclamar não dá resultado. Tenho certeza ABSOLUTA que essa eliminação só aconteceu devido à movimentação dos internautas fãs do programa.

Dica: Confiram a super promoção que tá rolando no meu Twitter, clicando aqui!